VAMOS FALAR SOBRE KEVIN?

012-we-need-to-talk-about-kevin-theredlist

Olá galera! Quem me acompanha no Snapchat (d.nise) sabe que esse fim de semana a família Cardoso Uchôa fugiu do calor da cidade e ficou entocada dentro de casa. Sério, tá inviável sair de casa nesses dias quentes. Daí tiramos o fim de semana pra nerdar, e nos atualizarmos em alguns filmes que estavam na nossa lista de espera. Um deles foi o We Need To Talk About Kevin ( Precisamos Falar Sobre Kevin ).

Precisamos Falar Sobre o Kevin -- EUA, 2011 -

Esse filme não é novo, foi lançado em 2011 e assistimos por indicação de uma amiga. Não quero dar spoiller porque ele realmente é muito bom, por isso recomendo que todos assistam. Mas no geral a história se passa em torno de Eva ( Tilda Swinton ), a mesma atriz que fez a Feiticeira de As Crônicas de Narnia, tentando se adaptar a sua nova realidade. O filme vai nos dando um pouco do que ela vive no presente e um pouco do que ela viveu no passado quando se casou com Frank ( John C. Reilly ) e juntos construíram uma família gerando Kevin ( Jasper Newell / Ezra Miller ) e Célia ( Ursula Parker ).

Eva - We Need To Talk About Kevin

kevin-day-30-2212

A trama se desenrola mostrando a dificuldade que Eva tem em se relacionar com seu filho Kevin, e a princípio nos faz acreditar que o problema talvez seja ela, já que por ser muito nova e amante da liberdade ela mesma não queria ser mãe. Entretanto Kevin não é uma criança mimada, é uma criança que desde muito novo sabe exatamente o que está fazendo e sabe como manipular as pessoas ao redor dele. Não vou falar mais nada do filme porque daqui pra frente é melhor que vocês mesmo assistam.

img551469434ea90

img55134933a1d4e

Acontece que em nenhum momento é citado o termo “psicopatia”, no entanto, quem já leu um pouco sobre o assunto consegue sacar na hora sobre o que o filme realmente trata e o quão difícil é destingir se o problema é a mãe/criação ou se é algo patológico, uma vez que ninguém quer cogitar a ideia de ter gerado uma criança com tal transtorno. O filme também joga nas entrelinhas a culpa que os pais sentem em uma situação dessa, e alguns questionamentos como “será que eu podia ter feito alguma coisa?” .

precisamos-falar-sobre-o-kevin-02

Outro ponto importante que o filme também joga nas entrelinhas é a relação dentro de casa homem/mulher. A falta de comunicação e de apoio que um precisa dar ao outro, a forma como a maioria das famílias se comportam deixando a responsabilidade de criar os filhos somente a mulher e o pai tornando-se o provedor da casa. Uma vez que o circo ta pegando fogo em casa e o marido não consegue entender o porque da relação entre mãe e filho estar tão abalada.

Precisamos Falar Sobre o Kevin -- EUA, 2011 -

Essas coisas que envolvem mente sempre me intrigaram bastante, cheguei a ler o Mentes Perigosas – o psicopata mora ao lado da brasileira Ana Beatriz Barbosa Silva. O livro explica de uma forma bem clara como as pessoas que sofrem desse tipo de transtorno podem viver uma vida inteira camuflados entre a gente, sendo quem elas precisam ser naquele momento, fazendo você acreditar que elas são capazes de se relacionar como qualquer um, e na verdade elas são incapazes de nutrir qualquer tipo de empatia ou afeto por quem quer que seja, transformando-as em seres frios e extremamente calculistas.

Por isso acho que independente do que Eva tenha sido para o filho ou pudesse ter feito de diferente, no fim, ele seria exatamente quem ele é. E o filme é um bom alerta/sacode nas mães e pais que acham que os filhos são perfeitos e preferem fechar os olhos pra certas atitudes, nunca se sabe quando é birra ou algo mais sério. É de extrema importância na criação dos pequenos o acompanhamento de profissionais da área de psicologia, somente eles poderão enxergar alguma coisa que nós, que estamos envolvidos sentimentalmente de mais, não somos capazes de ver.

Bônus: Depois de assistir ao filme, dá uma conferida nesse ( link ) e veja algumas coisas que só quem prestou muuuuuita atenção no filme percebeu.

Por isso se você é desse tipo que gosta de filmes mais intrigantes, mais dramáticos essa é uma boa dica! Caso você já tenha assistido deixe aqui nos comentários o que vocês acharam do final do filme. Beijos e até a próxima :*

Filme: Begin Again

Begin Again

O que falar desse filme que eu assisti esse fim de semana e ja considero pakas? Simplesmente lindo, do figurino ao roteiro, fotografia, atores, sem contar na trilha sonora que é de devastar qualquer coração.

Begin Again ( Mesmo Se Nada Der Certo – titulo em português ) conta duas histórias que se cruzam, dois artistas do meio da música extremamente saturados com a banalidade que se tornou a industria fonográfica. Uma comédia das mais leves e agradáveis que eu assisti nos últimos tempos. Greta James ( interpretada pela linda da Keira Knightley ) é uma jovem cantora e compositora que juntamente com seu namorado Dave ( Adan Levine do Maron Five ) vão em busca de conquistar o mundo com suas músicas, porém, como um clichê de roqueiros em ascensão, Dave resolve seguir carreira solo por assim dizer, o que deixa Greta numa fossa básica. Paralelo a isso temos o Dan Mulligan ( interpretado pelo meu querido Mark Ruffalo ) ex-executivo da gravadora Distressed Record que foi demitido por não aguentar mais as mesmices que sua gravadora tentava lançar.  Dan é um cara apaixonado pelo trabalho e pela arte, ele gosta de ver a música do jeito que ela é, com toda a sua essência e tudo mais, além de ser  cheio de conflitos familiares.

A história se desenrola a partir do encontro de Greta com Dan onde juntos começam produzir a demo dela, sem dinheiro, sem estúdio, com a ajuda de amigos influentes e algumas outras pessoas que acreditam no projeto. O cenário do filme é nada mais nada menos que a belíssima Nova York e é aí onde tudo fica mais interessante pra mim, a fotografia do filme é mágica, faz você ter vontade de por uma mochila nas costas e pegar o próximo voo pra capital do mundo, é simplesmente incrível. E como eu não sou baú ai vai o SPOILER DO FINAL que é simplesmente tudo o que eu espero de um filme desse, e raramente acontece. Sem Love Story entre os protagonistas, isso mesmo, o filme é tão bom que não foi preciso forçar um romance entre Dan e Greta e eu ameeei esse final, eles simplesmente seguiram com as suas vidas, felizes com eles mesmos e com as conquistas que tinham realizado.

É isso, quem gosta de música, Nova York, um cenário mais indie e um bom enredo essa é a pedida. Quem ja assistiu deixa um comentário com a sua parte favorita do filme. E quem ainda não assistiu, não fique chateado com meu spoilerzinho básico, eu costumo dizer que o importante não é saber O QUE vai acontecer e sim COMO vai acontecer e QUANDO vai acontecer, por isso não deixe de assistir. Eu estou muito apaixonada pela voz da Keira *—* vou deixar aqui também a play list da rdio do filme.

Espero que tenham gostado da dica, até o próximo post. Bjs :**