ESPECIAL DIA DAS MÃES: COMERCIAIS QUE EMOCIONAM

Eu e o Bruno somos muito emotivos a tudo que se diz respeito a bebês, gravidez, mamães, papais, cachorros… Dá pra imaginar o porque certo? Certo! Então sempre que alguma marca famosa lança um comercial que tem um apelo pra alguns desses assuntos pode ter CER TE ZA que tem duas pessoas se desfazendo em lagrimas do lado daqui. Eu não sei se é porque estamos vivendo esse momento, mas parece que esse ano as empresas tem se empenhado bastante no quesito emocionar. Separei alguns comerciais que já nos arrancaram bons litros de lágrimas, todos já pegaram seus lencinhos? Então da só uma olhada.

1. Huggies:

Conhecendo Murilo é uma homenagem da Huggies a todas as gravidinhas que estão ansiosas pela chegada dos seus filhotes. Essa é a história real da Tatiana que mesmo sendo deficiente visual pôde ” ver ” seu bebê pela primeira vez. É de emocionar!

2. Pampers:

Eu já declarei algumas vezes o meu amor por essa marca aqui no blog, que sensibilidade! Eu seria capaz de por todos os vídeos do canal no youtube deles aqui, mas hoje separei dois. O primeiro é a campanha do dia das mães 2015 #obrigadabebê . E o segundo é uma homenagem às mães que a Pampers Japão fez ano passado. Preparem as boias porque rios de lágrimas surgirão!

3. Johnson’s Baby:

A mãe de 1000 filhos é uma realidade que poucos passam, mas quem passa sabe a sensibilidade que a Johnson’s Baby teve em abordar tal assunto. Assistam e vocês entenderão porque eu não tenho nem palavras pra dizer o quanto eu fico emocionada com esse vídeo.

4. Nestlé Ninho:

Aqui em casa só entra Nestlé, seja o leite liquido ou em pó, até o NAN da Luna faz parte da família. Mas eu não sabia que a Nestlé tinha tanto sensibilidade pra produzir um comercial tão tão tãaaao emocionante. Assisti algumas vezes, e todas as vezes me emocionei MUITO.

E não é só isso, eles também produziram um vídeo que é uma homenagem as mamães que também é bem lindo e emocionante.

5. Lojas Renner:

Muito dificilmente essas lojas pra gente grade tem a mesma delicadeza em abordar datas assim como as que são especializadas em produtos infantis. Já vi inúmeras gafes que lojas de roupa, de sapato, de eletrodomésticos cometeram ao tentar vender de mais os produtos ou associar mães à domésticas. Mas a Renner me impressionou e me emocionou com o comercial desse ano.

6. Monange:

Esse ano a Monange preparou uma homenagem pras mães de todo Brasil trazendo uma espécie de teste. Será que você reconheceria sua mãe somente pelo abraço?

7. Casas Bahias:

Ahaaaaa! Taí um que me surpreendeu, depois de ter visto várias e várias empresas de eletrodomésticos associando as mães à panelas, e cozinhas, e coisas referente ao lar eu já estava convencida de que nenhuma era capaz de fazer um comercial digno da data! Até que as Casas Bahia me aparecesse com um que homenageia todas as mães guerreiras desse meu Brasil. Se você, assim como eu, tem uma mãe guerreira com certeza vai se emocionar.

É isso gente, agora vocês já podem ir pegar o rodo e escorrer o rio de lágrimas que todos esses comerciais proporcionaram, hahahha. Espero que tenham gostado, e que peguem o telefone de vocês agora e liguem pra suas mães e digam que as amam. Beijos e até o próximo post :*

Mitos da cesárea, quebra de resguardo e cinta modeladora.

22782386ef6d29004a159e2ac7b5aada

Oiee! Parece que faz mil anos que eu não apareço por aqui, as coisas andam meio corridas nessa nossa vida, e eu tenho muitas coisas pra contar. Hoje eu vou falar sobre minha recuperação ( resguardo ), minhas experiencia com parto cesariano, e cinta modeladora pós parto.

Exatamente hoje ( 26/01) acaba os meus 40 dias de resguardo, porém como toda mãe de prematuro sabe, isso não nos pertence. Acontece que com tantas preocupações, a rotina de hospital e a luta pela recuperação dos nossos filhos acaba que fica impossível termos os 40 dias que o corpo precisa pra se recuperar de tantas mudanças repentinas, além é claro de ter um tempo a mais pra curtir o pequeno. No meu caso foi assim, houveram poucos dias em que eu pude de fato ter um bom descanso, todos os dias desde o parto até aqui foram agitados – uns mais que os outros. Eu não sou médica e não sei quais de fatos serão as consequências de tudo isso no futuro, mas acreditem, consegui passar pela quebra do resguardo sem grandes complicações.

Não, eu não to dizendo que a partir de agora todas as mulheres não devem mais se resguardar, é claro que eu queria ter tido esse tempo pra mim mesma, poder deixar meu corpo respirar e se readaptar, poder andar de pijama pela casa, não me preocupar com o meu cabelo ou porque a minha barriga ainda não desinchou, não surtar porque minhas roupas não cabem em mim e achar que o problema sou eu, e ter Luna juntinho de mim. Ver minha filha lutando contra os problemas da prematuridade me da forças pra levantar todos os dias da cama e ir pro hospital, mesmo tendo que ter uma rotina pesada pra quem acabou de fazer uma cirurgia, e em nenhum momento senti que isso era um “peso” ou me arrependi de algo. O que complica tudo, acreditem, é a opinião alheia. Eu sei que não devemos ligar pro que os outros dizem e blablabla, mas quando pessoas próximas a você fazem certos comentários ( por mais inocente que seja ) isso machuca mais do que espirrar no primeiro dias pós parto.

Eu sempre tive problemas de auto-aceitação, sempre tive medo de estar acima do peso e coisas assim. E vejam, estar a cima do peso não é algo ruim, a menos que isso faça mal a sua saúde. No entanto o padrão de beleza imposto pela mídia sempre foi algo que me deixava muito pressionada e eu nunca soube lidar direito com isso. Daí você acaba de gerar uma vida e todos querem que você saia da sala de parto com o melhor cabelo do mundo, maquiada e sorridente. E depois disso eles querem que você fique escondida durante 40 dias pra se “recompor” e se isso não acontecer, Ok! Você é forte, mas e a cinta? Cade? Vai mesmo querer ficar com essa barriguinha pro resto da vida? E esse cabelo? Quando vai poder pintar? Acho melhor você tirar mais uns dias de descanso afinal acho que ainda não ta 100%.

Quando eu ainda estava grávida e procurava saber sobre os tipos de parto sempre li e ouvi que o parto cesariano é a pior coisa do mundo, cortam 7 camadas de pele e você nunca mais volta ser a mesma pessoa. De fato eu não voltei e acho que nunca mais vou voltar a ser o que era antes, mas muito mais porque me vejo alguém que cresceu com experiências do que por ter passado pela cirurgia. Meu corpo foi se acostumando com minha rotina e me servindo no tempo certo – o meu tempo. A medicina evoluiu muito do tempo de nossas mães pra cá, e a cesariana ( bem feita ) não é mais nenhum bicho de sete cabeças, com alguns cuidados como não fazer força, evitar se abaixar, evitar longas caminhadas no começo, ajudam você a ter uma vida quase normal pós parto.

A cinta modeladora pós parto foi algo que me ajudou muito no começo, depois da cirurgia ( e do anestésico ter passado ) eu me sentia muito dolorida e insegura pra me levantar e andar e tudo mais, mas como eu precisava ir até a UTI ver a minha filha e ir ao cantinho do leite, não tinha jeito, eu tinha que levantar. Eu usei duas cintas, a primeira foi uma da YOGA com abertura frontal que vai até a baixo dos seios, ela custou R$ 250,00 , e eu gostei muito! Ela é de abotoar, então eu podia por ela deitada sem precisar fazer muito esforço além dela ser bem durinha o que me proporcionou uma firmeza maior, me sentia mais segura pra andar ou sentar quando estava usando ela. Depois de um tempo quando meu corpo ja estava menos dolorido e eu ja conseguia me sentir mais a vontade passei a usar uma cinta body que cobre os seios e abotoa na parte de baixo, custou R$ 40,00 na Renner e apesar de não ser tão firme quanto a outra me deixava bem confortável.

Hoje eu uso cinta apenas quando me sinto insegura com meu corpo, e ao conversar com meu médico descobri que depois de um tempo ela mais atrapalha do que ajuda, já que alem de apertar muito seus músculos ela impossibilita a sua pele respirar direito. Mas como disse antes não consigo lidar com a reprovação alheia em relação ao meu próprio corpo, o Bruno tem me ajudado muito com isso, em nenhum momento ele me criticou ou algo assim, pelo contrário ele sempre conversou comigo a respeito de dar tempo ao meu corpo e não dar tanto ouvido as outras pessoas. Por isso deixo aqui as gravidinhas/mãezinhas de plantão um apelo, não se cobrem tanto, ja somos grandes mulheres por ter passado pelo que passamos, independente de ter tido uma gravidez normal ou não.

É isso gente, espero que tenham gostado. Beijoos :*